Notice: Undefined offset: 3 in /home2/psicologa/public_html/topo.php on line 11
Psicóloga, Terapia, Psicólogo, Maringá - Psicóloga Maringá Nayara Catenacci - Terapia e Psicoterapia Comportamental - Atendemos Unimed
NOTÍCIAS Vício: Álcool
Vício: Álcool

O que é?

O Alcoolismo é um vicio e/ou dependência causado pelo álcool e é considerado pela organização mundial de Saúde (OMS) uma doença. Essa dependência pode ser iniciada de forma inocente com a pessoa bebendo socialmente. Porém, tempos depois, a pessoa percebe que beber virou uma rotina em sua vida, que isso já está começando a atrapalhar as atividades e relacionamentos no seu dia a dia.Há outros fatores que influenciam como por exemplo a pessoa ter pré-disposição ao alcoolismo. Crianças e adolescentes que convivem com familiares que tem o costume de beber em excesso pode ser um desses fatores.

Algumas pessoas começam a beber como uma forma de fuga, motivadas por uma decepção, frustração ou até mesmo para ajudar a absorver a pressão do dia a dia. A pessoa passa a encontrar alívio com a bebida.

 

Consequências do uso do Álcool

O uso excessivo de bebidas alcoólicas pode afetar praticamente todos os órgãos e sistemas do organismo. O aparelho gastrintestinal é particularmente atingido. Podem ocorrer gastrites, ulceras, inflamação do esôfago, pancreatite; as lesões no fígado podem levar à cirrose. Outros aparelhos atingidos são o cardiocirculatorio (podendo ocorrer pressão alta, infarto do miocárdio), o sistema nervoso (epilepsia, lesões em nervos periféricos) e o geniturinário (impotência). Podem ocorrer também doenças devido a deficiências de vitaminas e alterações no sangue. O uso de álcool por mulheres grávidas pode levar a malformações no feto com retardo mental, malformações no coração, membros, crânio e face (síndrome fetal do álcool).

Na síndrome de dependência ocorre o uso exagerado, continuo de álcool por muito tempo. Há um desejo intenso de beber e necessidade de beber quantidades cada vez maiores para obter o mesmo efeito (tolerância). As atividades da pessoa giram em torno da obtenção de bebidas, ocorrem prejuízos nas demais atividades, como falta ao trabalho, queda do rendimento no trabalho e convívio familiar.

Outra característica da síndrome de dependência é a síndrome de abstinência. Ocorre em geral com a interrupção ou redução abrupta da quantidade de bebida ingerida. A síndrome de abstinência caracteriza-se por tremores, sudorese, aumento da pulsação, insônia, náusea ou vomito, ansiedade e agitação. Quando se torna mais grave surgem ainda as alucinações, em geral na forma de "visões" de animais ou fios na parede ou no ar ou da sensação de formigamento ou de bichos andando pelo corpo da pessoa. Este quadro é chamado de delirium tremens e é ainda acompanhado de febre, convulsões e confusão mental (a pessoa não consegue conversar direito, confunde objetos e pessoas, não sabe informar sobre datas ou local onde se encontra). O delirium tremens é um quadro grave e necessita de tratamento hospitalar.

Com freqüência, após um delirium tremens, a pessoa desenvolve um quadro caracterizado por esquecimento de fatos que ocorreram recentemente. É denominado amnésia induzida pelo álcool ou síndrome de Korsakoff.

 

Tratamento

Na maioria das vezes o dependente do álcool se mostra muito resistente à terapia, não assume que é dependente e que precisa de ajuda, devido a isso chegam até o psicólogo ou outro profissional através da família ou amigos na maioria das vezes numa situação muito crítica da doença. O psicólogo surge com o papel reforçador na intenção de ouvi-lo e instrui-lo a respeito de como voltar a ter um convívio normal, voltar a se relacionar e se comportar. Em muito dos casos tratados no consultório, o paciente usou o álcool como automedicação, isso contra decepções, angustia e depressão. E o álcool fez com que o paciente perdesse parte da moral e caráter que possuía, sendo assim o psicólogo irá ajuda-lo a encontrar novamente os valores que se perderam e que possa estar apto a se relacionar em sociedade.

Além do tratamento de psicoterapia, combinado com ele há o tratamento com medicação, isso porque devido a abstinência pode existir prováveis convulsões os medicamentos são para evitar as mesmas.

A psicoterapia desempenha papel fundamental na recuperação. Procurar buscar com o paciente os motivos que o levam a beber e auxiliar na resolução dos conflitos permitem a construção de uma personalidade mais madura, capaz de lidar com as adversidades sem precisar se refugiar na bebida.

 


Autora:
Psicóloga Nayara Catenacci

CRP: 08/24302
Precisa de ajuda?
Então esta esperando o que? Agende um horário!