NOTÍCIAS Ansiedade
Ansiedade

O que é Ansiedade?

Vivemos atualmente uma epidemia de casos de ansiedade. O ritmo frenético de vida, aliado a predisposição individual resulta em uma parcela significativa da população com sintomas ansiosos e perda de qualidade de vida.

A ansiedade é um processo físico e mental ativado em situações de medo, receio, diante do desconhecido e em momentos de tensão emocional. Ela pode ser NORMAL ou PATOLÓGICA. A ansiedade é algo que faz com que as pessoas entrem em ação, mas em excesso ela pode se tornar patológica, ou seja, um estímulo que ao invés de beneficiar, acaba prejudicando a pessoa.

 

Ansiedade Normal

Trata-se de um sentimento de receio, aflição, com algumas alterações físicas. Os sintomas são autolimitados, direcionados a uma situação peculiar e são proporcionais ao risco envolvido. Todo mundo se sente ansioso em situações como: dia do casamento, tentativa de assalto, montanha russa, entrevista de emprego, apresentação importante, etc. A ansiedade NORMAL ajuda o ser humano, cria um ambiente cognitivo para tomada rápida de decisões.

 

Ansiedade Patológica 

Ela se torna doença quando passa a ser direcionada a situações comuns do dia-a-dia, ou quando é uma resposta absolutamente desproporcional ao risco. Seja como for, a doença é definida quando surge impacto na qualidade de vida da pessoa. Esse tipo de ansiedade limita a percepção e dificulta a tomada de decisões, evoluindo com restrição social e impactando negativamente diversos aspectos da vida da pessoa. Podemos tomar como exemplo, uma pessoa que não dirige o carro porque fica extremamente ansiosa com a  simples ideia de dirigir, nesse caso a ansiedade é prejudicial à pessoa.

Como podemos perceber o que diferencia a Ansiedade Normal da Patológica é a INTENSIDADE e os impactos na funcionalidade do indivíduo. 

 

O que causa a ansiedade?

 A causa é complexa e varia de caso a caso. Existe uma predisposição genética, nestes casos, as manifestações podem ser bastante precoces, sendo a pessoa desde cedo uma criança agitada, às vezes hiperativa, que chora com facilidade e às vezes até com dificuldade de dormir. Mas vários fatores ambientais também podem determinar ou descompensar os sintomas. O ritmo de vida, os ambientes, o tipo de criação e a presença de traumas pontuais podem culminar na amplificação da ansiedade normal e iniciar a doença propriamente dita. 

 

Sintomas

O corpo fica tenso, existe uma necessidade de se movimentar fisicamente (mexer pés ou mãos e inquietação em geral), a respiração fica mais acelerada e o pensamento fica agitado (muitas ideias passam pela cabeça de forma acelerada). Algumas vezes a cabeça fica confusa e não se sabe direito o que se quer.

Sintomas físicos: Taquicardia, falta de ar, tremores, dor no peito, fome, dor no estômago, diarreia, tensão muscular, boca seca, roer as unhas, dor de cabeça, calafrio, vertigem, mãos suadas, disfunção alimentar (engordar ou emagrecer), etc.

Sintomas psíquicos: Angústia, medo excessivo ou irracional (como medo de animais, de elevador, de avião), fobias, perfeccionismo, irritabilidade, nervosismo, intolerância, insônia, sensação de morte iminente, dificuldade de falar em público, pânico, etc.

 

Tratamento

Quando a Ansiedade é elevada ou intensa e o indivíduo não mais a controla e percebe que sua vida está sendo prejudicada pelos sintomas da ansiedade, ele precisa de um tratamento psicoterapêutico e/ou medicamentoso. A combinação de Psicoterapia e medicamento, muitas vezes é o modelo ideal de tratamento para a ansiedade, o medicamento vem para amenizar os sintomas enquanto a psicoterapia vai trabalhar as causas e os motivos pelos quais a pessoa se tornou ansiosa.

A Psicoterapia é uma opção de tratamento muito aconselhada. É um encontro com uma pessoa especializada, onde o paciente fala sobre seus sentimentos, ansiedades, preocupações, etc. 

O primeiro ponto a ser abordado durante a psicoterapia, é o de ampliar a consciência do paciente a respeito de sua postura perante os problemas da vida diária, ou seja, como ele está dando conta da vida, o que ele faz em relação às demandas que a vida lhe impõe. Dessa forma a pessoa pode perceber onde ela pode estar errando ao lidar com esses problemas e como ela pode estar fazendo de coisas mínimas uma grande catástrofe em sua vida. Revertendo esse tipo de pensamento, a pessoa passa a ter recursos eficazes para lidar com a ansiedade, encontrando novas maneiras de ver e enfrentar determinadas situações, fazendo com que o paciente sinta menos ansioso, além de aprender técnicas para diminuir a ansiedade.

Grande parte das pessoas que seguem o tratamento citado acima, em poucas semanas sentem uma melhora significativa e retornam a suas atividades diárias.

 


Autora:
Psicóloga Nayara Catenacci

CRP: 08/24302
Precisa de ajuda?
Então esta esperando o que? Agende um horário!